Você é o que você curte

As opções “curtir”do facebook revelam muito sobre você.

O especialista em marketing digital Gil Giardelli escreveu um livro muito interessante, Você é o que você compartilha, onde explica a nova realidade de um mundo em rede. Ressalta o poder do compartilhamento e da colaboração. O tema principal da publicação é o aproveitamento das oportunidades de negócio que surgem nessa nova ordem do mundo totalmente em rede. Para as pessoas a dica é que tudo o que você compartilha diz o que você é, suas preferencias, sua ideologia e até sua personalidade.

Alinhado com isso, uma pesquisa realizada por Cientistas da Universidade de Cambridge, no Reino Unido,  com 58 mil usuários do Facebook demonstrou que é possível prever traços de personalidade e outras informações que os perfis não revelam.

Analisando as opções “curtir” do Facebook, os pesquisadores desenvolveram modelos matemáticos que apresentaram precisão de 88% na previsão das preferencias sexuais de usuários homens. Pelo mesmo método foi possível prever raça (95% de precisao), QI, opções políticas e religiosas.  O tipo de personalidade e a estabilidade emocional também foram previstos com alta precisao.

O que podemos fazer com isso?

Certamente as empresas poderão usar esses dados em estratégias de propaganda e marketing.

Um dos  co-autores da pesquisa David Stillwell,  ressalta que clicar no botão curtir é sedutor mas as pessoas não percebem que com o tempo todas essas opções demonstram dados adicionais sobre você.

Stillwell explicou que, embora dados do Facebook tenham sido usados neste estudo, perfis similares poderiam ser produzidos usando outros dados digitais, incluindo buscas na internet, trocas de e-mails e telefonemas. “É possível chegar às mesmas conclusões com diferentes formatos destes dados digitais”, explicou.

Em grande parte, as previsões se basearam em dedução, feita a partir de enormes quantidades de dados. Aqueles apontados como homossexuais foram classificados como tais não porque clicaram em sites sobre casamento gay, mas por causa de suas preferências musicais e televisivas, por exemplo.

Para uma versão mais curta do estudo, os cientistas criaram um aplicativo de Facebook, denominado You Are What You Like (Você é o que você curte), que faz uma avaliação da personalidade do usuário.

Eu fiz um teste com meu perfil, mas o sistema só conseguiu analisar três “curtir”, mesmo assim a reposta foi interessante.

O estudo, publicado no periódico Proceedings of the National Academy of Sciences, é divulgado em meio a um intenso debate sobre privacidade online e se os usuários sabem quanta informação é reunida sobre eles. Outra pesquisa recente demonstrou que os usuários do Facebook começaram a compartilhar mais dados pessoais depois que a rede social revisou suas políticas e interfaces.

Os cientistas de Cambridge afirmaram que os dados sobre as opções ‘curtir’ podem ser úteis para avaliações psicológicas e de personalidade, mas também mostra como detalhes pessoais podem ser tornados públicos sem o seu conhecimento.

O você, caro leitor, o que acha disso? Deixe seu comentário.

Fontes:  Terra Tecnologia, Jornal Folha de S. Paulo, 15/03/2013.

Evaldo Bazeggio

Diretor Fundador e Diretor Técnico da Bazeggio Consultoria. Executivo com mais de trinta anos de experiência em gestão de equipes e organizações públicas e privadas. Certificado internacionalmente Master Coach ISOR® em Coaching, Mentoring e Holomentoring®. Consultor de estratégia, desenvolvimento organizacional e de pessoas, em organizações.

Deixe uma resposta

Fechar Menu