1 – Desconhecer a diferença entre TREINAMENTO e DESENVOLVIMENTO, criando ações de pouco impacto nos resultados do negócio;

2 – Atuar (somente) POR DEMANDA.

3 – Relevar o impacto das NOVAS TECNOLOGIAS em sua atuação e também no negócio;

4 – NÃO TER uma agenda proposta para o time de EXECUTIVOS do negócio

5 – DESCONHECER os desafios do negócio;

6 – Não ter estratégias continuas de auto-TRANS-formação.

7 – Não ter medição de impacto de sua atuação principalmente na TRAJETÓRIA DOS TALENTOS da organização;

8 – Ter ações de curto e médio prazo, não considerando o que o NEGÓCIO deverá entregar nos PRÓXIMOS ANOS.

9 – Ser muito bom OPERACIONALMENTE.

10 – Não proporcionar modelos ágeis de MENTORIA e ADVICE;

11 – NÃO participar do design de produtos e serviços estratégicos do NEGÓCIO.

(Algumas dessas dicas foram inspiradas em alfarrábios de André de Souza)

Seja o primeiro a saber de todas as nossas novidades

Se você gostou deste conteúdo e quer receber mais informações sobre gestão de pessoas em seu email, cadastre-se abaixo



Deixe uma resposta

Fechar Menu
×

Carrinho