Abordagem Tensorial em Coaching

Veja como a abordagem desenvolvida pelo Instituto Holos derivada da formulação tensorial de Einstein para a Teoria da Relatividade pode ser usada junto ao coaching

A abordagem Tensorial em coaching do Instituto Holos deriva da formulação tensorial que Einstein deu à Teoria da Relatividade, em 1916, de modo que ela pudesse ser expressada em termos matemáticos e que, além disso, tivesse um entendimento prático para a humanidade.

Você sabe o que é coaching?

Esta formulação recebeu aperfeiçoamentos e novas aplicações no campo científico, observada na NASA a partir de 2002, onde este estudo está bem avançado.

A Teoria dos Tensores contém, certamente, uma certa complexidade. O motivo é que extrapola o pensamento linear e nos leva a atingir novos níveis de percepção da realidade. Podemos entender um tensor como um campo ativo de forças formadas por paradigmas, fatos, atividades e/ou acontecimentos interligados e interdependentes, que tendem a determinar subjetivamente a forma como as coisas ou os processos tendem a acontecer dentro do próprio Tensor.

Um Tensor está presente em todo processo humano – em uma negociação, família, reunião, empresa, departamento, loja, igreja, na própria natureza, numa cidade e mesmo num encontro de Coaching.

Instituto Holos utiliza  – de forma oficial – a abordagem Tensorial no curso de Formação de Executive, Team & Leadership Coaching e Mentoring ISOR® , seja este curso aberto ou in company.

Primordialmente, é a qualidade do tensor que determina a qualidade da atividade. O Holos prima por buscar a vanguarda em termos de mentalidade e no fornecimento de instrumentais avançados aos alunos e clientes. Por isso, a intenção é praticar e ensinar uma forma mais avançada de práticas de Coaching e Mentoring.

A Abordagem Tensorial no coaching potencializa a percepção de todo o conjunto de componentes de uma realidade, atingindo resultados mais abrangentes, consistentes e sinérgicos, e com uma visão mais ampliada e significativa. Por isso é considerada superação de abordagens mais tradicionais.

O estudioso, físico e mestre do desenvolvimento da mentalidade humana Odival Serrano foi o primeiro mentalizador do ISOR® e mentor de Marcos Wunderlich. O brasileiro aprofundou a Abordagem Tensorial na formulação da  Teoria da Evolução e Organização (TEOS) do SER no final da década de  1980. Segundo Serrando, qualquer realidade processual pode ser entendida, decodificada e transformada a partir de sete tensores básicos relativizados com os três campos mentais básicos: mente racional, emotiva e operacional.

Em outras palavras, podemos entender o todo de uma pessoa, de um profissional, de uma empresa ou de qualquer questão olhando sob o prisma dos Sete Tensores.  Na prática, aprendemos que o tensor se traduz no clima criado. O clima define a ordem com que os fatos deverão acontecer.

Como se dá a aplicação prática do tensor nas competências do Coach:

O estabelecimento do tensor facilita a prática do coaching a partir das 11 competências definidas pela ICF-International Coaching Federation. As mais evidentes são as competências 3 (Conquistar a Confiança e a proximidade com o cliente) e a competência 4 (estabelecer a presença do coaching). Estas técnicas são abordadas nos programas de formação do sistema ISOR®.

A aplicação prática dessas ferramentas você pode aprender no curso de formação de Coaches e Mentores do sistema ISOR. Solicite aqui informações sobre a próxima turma.

 

 

Se você gostou deste conteúdo e quer receber mais informações sobre gestão de pessoas em seu email, cadastre-se abaixo

Seja o primeiro a saber de todas as nossas novidades

Evaldo Bazeggio

Diretor Fundador e Diretor Técnico da Bazeggio Consultoria. Executivo com mais de trinta anos de experiência em gestão de equipes e organizações públicas e privadas. Certificado internacionalmente Master Coach ISOR® em Coaching, Mentoring e Holomentoring®. Consultor de estratégia, desenvolvimento organizacional e de pessoas, em organizações.

Deixe uma resposta

Fechar Menu
×

Carrinho