A pizza vai entrar pela janela

A pizza vai entrar pela janela e você pode ser o piloto desse vôo.

Lá pelo ano 2010 eu usei muito uma frase nas aulas de ambiente de negócio no MBA: “Eu sonho com o dia que pedirei uma pizza e ela entrará pela janela.”  Logicamente os alunos faziam alvoroço. Teve um que falou que a embalagem seria comestível também e por aí vai. Pois aquilo que era uma brincadeira já é realidade.

A Amazon, empresa que inovou em venda de livros e foi uma das primeiras a lançar computação na nuvem foi uma das empresas que se adiantou nas pesquisas sobre a entrega com o uso de robôs voadores. No Brasil já existem empresas usando essas abelhas voadoras na Agricultura (Eldorado Celulose), inspeção de redes de transmissão, fotografias, segurança etc.

O modelo mais popular é fabricado na China mas no Brasil existem fornecedores como a AGX, XMobots, BrVant e Skydrone.  Os preços variam muito e partem de aproximadamente três mil reais.

Os desafios para o aumento desse mercado esbarram na regulamentação, que ainda não existe e também na formação de profissionais especializados na gestão e na pilotagem. Nos Estados Unidos, o uso de drones comercialmente não foi autorizado pela administração federal de aviação (US Federal Aviation Administration).

Neste vídeo, é possível ver como a Dodo Pizza Delivery realiza entregas através dos drones. Com câmeras instaladas no aparelho, o controlador pode visualizar para onde o drone está indo e sua altura. Ao chegar no endereço, ele vê que o cliente retirou a pizza e retorna para o estabelecimento a fim de realizar uma nova entrega.

Está aí uma nova profissão. A revista IstoÉ Dinheiro publicou uma reportagem interessante nessa semana, ressaltando o enxame de oportunidades que esse mercado pode trazer.

Veja matéria sobre drones do campus party

 

Se você gostou deste conteúdo e quer receber mais informações sobre gestão de pessoas em seu email, cadastre-se abaixo

Seja o primeiro a saber de todas as nossas novidades

Evaldo Bazeggio

Diretor Fundador e Diretor Técnico da Bazeggio Consultoria. Executivo com mais de trinta anos de experiência em gestão de equipes e organizações públicas e privadas. Certificado internacionalmente Master Coach ISOR® em Coaching, Mentoring e Holomentoring®. Consultor de estratégia, desenvolvimento organizacional e de pessoas, em organizações.

Este post tem 11 comentários

  1. Parabéns, Evaldo. Certamente esta tua visão do futuro que é quase presente, se concretizará muito em breve.
    Abraço

  2. O líder do Futuro o vê e decide morar lá. Tudo é possível ao que crê, já diria o Mentor dos Mentores. De fato, quando o homem resolve entender o seu chamado para ser uma ideia de Deus, o inesperado acontece. A tecnologia é prova disto, e a Amazon, como sempre enxerga o futuro e assim como no começo da sua fundação, (aonde ousou vender livros on line), ousa pensar na frente. Prof. Evaldo, quando o sistema estiver funcionando vou enviar uma pizza surpresa para lembrar deste post.

  3. Novas profissões com a criação das inovações. O que será das profissões exercidas hoje? Muito investimento, capacitação e especialização. Será que as profissões tradicionais se perderão?

  4. Para sobreviver e se destacar no mercado competitivo o bom profissional precisa pensar a frente da sua realidade, sonhar, estudar, investir em inovação e acreditar que seus sonhos podem se concretizar em fantásticas criações que atendam os anseios do mercado.

  5. Evaldo,

    Muitas vezes a inovação não se dá por inventar algo completamente novo e sim, em fazer algo que já é feito, só que de forma melhorada – ou mais barata, mais rápida, etc.

    Se colocarmos de lado algumas questões tecnológicas, o drone faz o mesmo serviço que o motoboy da esquina faz. Só que de forma muito mais ágil e, porque não, glamurosa.

    Podemos citar inúmeros produtos que revolucionaram o mercado baseados nesse conceito de “repaginação radical”. O Ipod, por exemplo, nada mais foi que a evolução do antigo walkman.

    Se por um lado, estes produtos revolucionários se aproveitaram de antigas soluções, por outro, devemos sempre ter em mente que para muitos deles foi necessário realizar pesados investimentos em marketing para despertar no consumidor o desejo ou necessidade de posse.

    Hoje dificilmente um administrador vive alheio a um sem fim de recursos tecnológicos – smartphone, tablet, etc. Mas estes só passaram a ser essenciais à partir do momento em que seus fornecedores foram capazes de convencer aos consumidores que tais soluções trariam benefícios inigualáveis.

    Atenciosamente,

    André MEIRA
    MBA Gestão Empresarial
    ESAD

  6. Prof.Evaldo,
    Não basta atualizar-se constantemente, não basta também apenas ter ideias,mas acima de tudo é preciso acreditar que se pode torná-las parte da realidade. O alto investimento em marketing e a comodidade que vêm com o conceito de entrega de pizzas realizada por drones vão se encarregar de transformar o “futuro” em realidade cotidiana. Essa criação causa impacto semelhante ao do surgimento dos caixas eletrônicos e de podermos retirar dinheiro ou realizar uma transferência, sem precisar enfrentar uma fila de banco ou mesmo cumprir o horário bancário.
    Os inventores desses robôs estão de parabéns, embora saibamos que ainda existem grandes desafios pela frente, mas certamente essa invenção não vai demorar muito para se tornar parte concreta de nossa vida agora.

    MBA
    Gestão de Marketing
    ESAD

  7. Essa é a melhor tradução para cabeça banda larga… novas ideias… implantações visionárias!!

  8. A inovação é impulsionada pelo desejo de empresas e consumidores pela prestação de serviços de qualidade aliados a praticidade e conforto.
    A iniciativa é válida por atender a estes requisitos, mas esbarra em questões de custo e segurança. Partindo da premissa de que pouco se pode fazer para impedir o progresso, acredito que em breve serão encontradas soluções para viabilizar o projeto.

  9. De fato, a tecnologia (em geral) e os drones (em particular) apresentam-se como um novo tempo. Tanta inovação irá impactar positivamente no trânsito, no meio ambiente, na administração do tempo, custos, status, modelos de negócios, etc. Por outro lado, todos precisaremos planejar estrategicamente nossa sobrevivência nesse ambiente. Empregos serão suprimidos, qualificações serão exigidas, a segurança das operações precisarão adaptar-se a um novo cotidiano tecnologicamente modificado, os modelos de gestão precisarão ser revistos sistematicamente…

    A história mostra que, apesar do susto inicial diante das rupturas, das mudanças, do novo, todos nós – de alguma forma – seguimos em frente, alguns bem adaptados e conscientes de sua realidade (visão crítica e de futuro), outros alienados e manipulados (cultura do consumo/modismos/inércia).

    A questão deve ser: atualmente, diante de transformações frenéticas rumo ao futuro que, ao que parece, tornou-se apenas um conceito (na prática, hoje, o futuro é!), estamos prontos? Os governos, as escolas e universidades, as famílias, os gestores e líderes. Como estamos nos preparando para abraçar o irreversível (irresistível?) desenvolvimento tecnológico? Como protagonistas, visionários, estrategistas ou como meros observadores aos poucos devorados pelo mercado? Sabemos o que estamos fazendo ou para onde estamos indo?

  10. Inovar … essa é a palavra chave para Empresas de sucesso!!!
    As Empresas estão procurando agilidade e conforto para os seus clientes com serviços de qualidade e para tanto é necessário colocar em pratica o que há de novo e sair na frente solucionando os problemas constantes de atrasos em entregas.

  11. Hoje em dia, as empresas que buscam usar as tecnologias a seu favor, já tem um diferencial. Como por exemplo, existem vários restaurantes que não usam mais cardápios pois desenvolveram aplicativos onde o cliente faz o seu pedido em qualquer indioma informando a mesa que se encontra. Ou seja, aonde os turistas estrangeiros vão preferir comer?
    Hoje em dia, quem não inova. fica pra trás e a empresa que fica pra trás, um dia vai acabar.

Deixe uma resposta

Fechar Menu
×

Carrinho